sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Ricardo Evangelista e Sueli Silva ,do Sarau Tropeiro e Clevane Pessoa no VIII Encontro do aBrace

O vídeo abaixo mostra a entrevista com  Ricardo e Sueli, do SARAU TROPEIRO, na TV Horioznte, ond e fui entrevistada em outro programa, por motivo de nossa viagem ao Uruguai, em 2007.

Veja no You Tube:


<object width="480" height="385"><param name="movie" value="http://www.youtube.com/v/F_jn1BU_REc?fs=1&amp;hl=pt_BR"></param><param name="allowFullScreen" value="true"></param><param name="allowscriptaccess" value="always"></param><embed src="http://www.youtube.com/v/F_jn1BU_REc?fs=1&amp;hl=pt_BR" type="application/x-shockwave-flash" allowscriptaccess="always" allowfullscreen="true" width="480" height="385"></embed></object>


REMEMÓRIA

Em março de 2007, estivemos em Montevidéu, onde nos apresentamos, o Sarau Tropeiro fez muito sucesso, eu fui homenageada pelos 50 anos de poesia e recebi um troféu do aBrace, no El Cabildo .Um dia antes, na Bibioteca ,lancei Mulheres de Sal, Água e Afins  (Editora Urbana/Rio de Janeiro) , Ricardo lançou seu "Embornal de Sons" e  , ao chegar, bem no Dia Internacional da Poesia, saudei os Poetas presentes , a pedido de Roberto Bianchi e Nina Reis, Diretores do Movimento Cultural aBrace. Nessa abertura, a grande poetisa Nina Reis lançava seu Todas Las Manzanas del Paraíso (Todas as Maçãs do Paraíso) e durante os autógrafos,  Mariana Moraes (*), cantora uruguaia que já morou no Brasil , apresentava seu repertório de Bossa Nova, acompanhada por violonistas.

Participei das antologias então lançadas, letras de babel e CuentoGotas.Deste, meu miniconto O gato, foi aprsentado por um crítico literário  e um poema por uma Professora universitária- o que aocnteceu com os autores presentes.

Após o encontro, distribuimos livros por Montevidéu, alguns doados à Biblioteca, nossos e de escritores que nos confiaram os seus .Fomos ao ICUBUY(Instituto Brasil Uruguay, onde fomos muito bem recebidos pela Professora Deolinda Lahm, que é  brasileira e era muito amiga da filha de Carlos Drummond de Andrade.Doamos livros e fomos entrevistados por Gustavo, representante do Pravda russo.na parede, os olhos claros de Cecília Meireles, minha patrona na AFEMIL) Cad.05, eram um convite à beleza pura...

Lindos dias!

Clevane Pessoa de araújo Lopes
Diretora Regional do inBrascI e Representante do Movimento Cultural aBrace.

(*) No ano passado, Mariana lançou, com selo aBarce, o CD "SOMENTE MULHERES", onde estou, na primeira faixa, com meu poema RENÚNCIA.Mariana musicou nossa poesia feminina. A renda foi doada ao tratamento de Câncer .




quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Nifas dançando de João Werner, poema de Clevane Pessoa

Ninfas Dançando
gravura digital vetorial (Flash)
42x60 cm.
02 de junho de 2008
código da gravura 158-08

de João Werner, na série Mitos & mitologias, Ninfas
Conheça mais telas do premiado e renomado artista:
(onde também poderá adquirir as gravuras)

Ninfas Dançando

Clevane Pessoa


Trilogia, tríade, trio de mulheres gráceis, as três graças
não se tornem des/graças,
mas promessas de fertilidade
e possam chamar a chuva.
Sempre no gerúndio, en/cantando,
dançando,
atraindo,
 num continuum de graciosidade.
Mulheres atemporais, gregas, romanas, egipcias
wiccanas, indígenas, hodiernas a celebrar a liberdade de ser.
A música, cada um ouça a que soa, ressoa
em seu self , em seu coração e alma
e vibre através dos poros.
A música ensinada às criaturas
pelo movimento das águas,
pelo tatalar das asas,
pelas travessuras da brisa,
pelo rítmo do capim e do trigo,
pela viagem incessante das nuvens grávidas
ou engravidando,
é um presente :
basta seguir um rítmo e dar vazão à alegria
de estar para ser,
vivo e resiliente...


Com a escolha dessa tela de João Werner, que sempre me inspira, de imediato, contamina-me com a vibração das cores e comigo compartilha , á distãncia, os mistérios da beleza artística, desejo Feliz Ano Novo ao artista, aos leitores, parentes e amigos!
Clevane Pessoa

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

5 CONCURSO INTERNACIONAL DE MINICONTO E POESIA MULHERES EMERGENTES.

 5 CONCURSO INTERNACIONAL DE MINICONTO E POESIA MULHERES EMERGENTES.
Amigos,

Tânia Diniz, poeta e editora de Mulheres Emergentes, assim se expressa?

"Como muita alegria venho, orgulhosamente trazer a todos, o aguardado resultado do

5 CONCURSO INTERNACIONAL DE MINICONTO E POESIA MULHERES EMERGENTES.

Realizado em comemoração aos 21 anos do mural poético Mulheres Emergentes.

O julgamento, onde cada um podia enviar até três trabalhos, foi feito no sistema de autor sob pseudônimo, para maior lisura.

Com participantes brasileiros de vários estados, argentinos, espanhóis e americanos, os jurados tiveram um árduo trabalho na seleção dos poemas e minicontos vencedores.

Pelas muitas notas coincidentes e outras muito próximas delas - atestando o bom nível dos concorrentes - e para mais valorizar as participações, determinou-se oferecer merecidas Menções Honrosas e Destaques.

Como Organizadora, e também em nome dos jurados, parabenizo aos classificados e a todos os escritores que confiaram em nosso trabalho e o enriqueceram com sua participação.
Os prêmios serão, oportunamente, enviados por correio.
Consistem em Troféus, Certificados, assinaturas anuais do Mulheres Emergentes e livros, respectivamente distribuídos de acordo com as classificações.

O Júri foi composto pelos escritores:

Clevane Pessoa Araújo – radicada em Belo Horizonte –MG- Brasil, há anos, nasceu  no Rio Grande do Norte. É também psicóloga, poeta, haicaísta, artista plástica, jornalista e incansável divulgadora das artes. Inúmeros livros publicados.

Luísa Coelho – portuguesa de Luanda, Angola - África. Professora universitária, escritora, poeta e incentivadora das artes. Vários livros publicados. Atual representante do Mulheres Emergentes na África e em Portugal.

Alberto Peyrano – Buenos Aires- Argentina - Psicólogo, psicanalista, escritor, poeta, cantor de tango, divulgador da poesia. Vários livros publicados. Futuro representante do Mulheres Emergentes na Argentina.

 Classificados:

categoria Poesia -

1o. lugar -
poema METAFÍSICA - Flor de Lótus
Sílvia Anspach - São Paulo - SP
Professora, Doutora em Comunicação e Semiótica (PUC-SP), Mestre em Linguística Aplicada (University of Reading,Inglaterra), Especialista em Psicologia Analítica e Psicanalista.Autora de vários livros.

2o. lugar -
poema DOS PÉS NO CHÃO - Radesh
Lucas Guimaraens - Belo Horizonte - MG; reside em SP, atualmente.
consultor jurídico especializado em Direito Internacional e Direitos Humanos; especialista em Filosofia pela Universidade de Paris VIII, mestrado em Direitos Humanos, Univ. de Paris X; conferencista sobre a obra do filósofo Michel Foucault e sobre Dignidade da Pessoa Humana. Participa de algumas antologias poéticas.Tem livros inéditos.


3o. lugar -
poema SOB O MANTO DA NOITE - Antonia Francisca Fênix
Julieta Pontes- vive em Belo Horizonte- MG, nasceu em S.Gonçalo do Abaeté - MG
Bailarina, trabalhou no Balé Klaus Vianna e no Balé Carlos Leite, na Tv Itacolomi. Aposentada, hoje é escritora, pianista e pintora.

Menção Honrosa

poema PROSA DE DUAS - Alkady
Kadydja Albuquerque Borba - Aracaju - Sergipe
jornalista e fotógrafa

poema AVANZA COMO UN REO - Emilia
Emilia Oliva - de Malpartida de Plasencia - Espanha, vive em Cáceres.
Licenciada en Filologia Românica e em Filologia Hispânica pela Universidad de
Extremadura.  Professora de idiomas e colaboradora de artigos de opinião na imprensa regional, poesia, contos e microrrelatos em diferentes revistas, e atualmente faz parte do conselho editorial da revista literária En sentido figurado.Tem vários poemários publicados.

poema PALIMPSESTO - Rosmarino
Sílvia Anspach – São Paulo - SP
Professora, poeta, escritora.


Destaque

poema PARAISO: LA ÚLTIMA NOCHE - Ojísimo.
Alicia Zavola Galván - San Antonio - Texas - USA
Dramaturga, poeta, ensaísta, tradutora, escritora.

poema ME SOA DENTRO - Celacanto
Partícia Avellar Zol - Belo Horizonte - MG
Coreógrafa, bailarina, diretora de espetáculos cênicos, licenciada em Ed. Física -UFMG, pós-graduada em Yôga Aplicada pela Universidade Federal do Pará.Poeta.

poema GATO NA JANELA - Laís
Laís de Castro - São Paulo - SP
jornalista, escritora


Categoria Miniconto:

1o. lugar -
SOBRE PORTAS FECHADAS - Lilly Falcão
Lia Abreu Falcão - Recife - PE
advogada, poeta

2o. lugar -
SER.VIL - Giltteral
Geraldo Trombin - Americana - SP
publicitário, escritor

3o. lugar - Empate entre:
LUX - Habeas Corpus
Lílian Maial - Rio de Janeiro - RJ
médica, escritora

CHUVA BRANCA - Cloé
Flávia Drummond Naves - Belo Horizonte - MG
psicóloga, psicanalista e poeta.


Menção Honrosa

PUERTO ALGARROBO - Joaquín Ortíz
Carlos Fradkin - Entre Ríos - Argentina
escritor, aposentado.

MERCADOR DE ESTRELAS - Borboleta de Neón
Marta Helena dos Reis - Contagem - MG
professora de português, poeta e escritora

GREGOS - Lili
Eliane Accioly Fonseca - São Paulo - SP
nasceu em Araguari- MG; psicanalista, poeta, artista plástica.Vários livros publicados.

AMOR DE CHOCOLATE - Plurimarias
Delba de Avelar Menezes - Ribeirão das Neves - MG
professora, jornalista, psicóloga, escritora

Destaque

TRAIÇÃO NÃO TEM PERDÃO - Marisca
Valderez Mello Cornachione - Jundiaí - SP
psicopedagoga, adovogada, escritora

O ANJO - Jade
Mariza Trancoso -  Belo Horizonte - MG
professora, artista plástica, escritora

DIBUJO - Luz de Luna
Maria Cristina Dreser - Buenos Aires - Argentina
piano, ballé clássico, escritora

PÉS DE GALINHA - Madame Mim
Maria Inês Marreco - Belo Horizonte - MG
professora, escritora

TERRA SECA FOGUEIRA ARDENTE - eNe
Neuza Ladeira - Belo Horizonte - MG
escritora, poeta, artista plástica

><**><

http://maximokinast.blogia.com/temas/cultura-y-arte.php

Prêmio zaP para Clevane Pessoa




A jornalista Elizabeth Misciasci, da Imprensa zaP, e de "EUNANET"com quem me relaciono pela Intrnet, desde o concurso do Projeto "Presídio de Mulheres"(nome do livro  :as reenducandas escreviam textos em prosa ou versos e os julgávamosm muitas vezes em prantos, nas madrugadas frias) -quando fui jurada,jamais pude deixar de sentir a pulsação feminina em cada palavra de dor ou de esperança- e pessoa a quem considero notável, surpeende-me com essa bela homenagem.Agradeço penhoradamente.
Sou uma de suas colunistas, mas entrava na área restrita com a senha de um de meus e-mails que ...desapareceu sem explicações , da noite para o dia (g-mail).
Aguardo com ansiedade , instruções para voltar a escrever em sua revista literária virtual, tão lida e comentada, clean, onde  adoro estar.

Elizabeth Misciasci, além de ativista cultural, poeta e articulista, tem uma contínua luta pela justiça, cobrindo o noticiário de  casos que causaram comoção popular, em especial aqueles onde crianças foram mortas, mulheres assassinadas ou ofendidas, pessoas foram seviciadas ou desapareceram.Seu trabalho é paladino de uma Paz e uma Justiça esperadas , desejadas e que um dia ainda limparão a terra de crimes hediondos e também dos pequenos crimes cometidos cotidianamente contra os indefesos, os sm nome, sem teto, sem oportunidades.

Que 2011 seja para Elizabeth Misciasci, mais um onde seu trabalho alcança tão altos píncaos, mas sobretudo, que ela possa ser casa vez mais feliz e realizada, reconhecida e querida.

Com meu muito obrigada:

Clevane Pessoa,
Belo Horizonte, 28 de dezembro de 2010

Logo na Imprensa zaP, criada pela revista.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Ciranda de Poetrix-Tema Céu da Boca-organizada por Ângela Bretas.


~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Estrelário
no céu de minha boca
teus beijos
estrelam.

(Angela Bretas)

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Vênus

no céu
da minha boca,
você é a estrela maior

(Pedro Cardoso)
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
O teu sol

Queima-me
quando pouso
no céu da tua boca

(Jucineia)
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Viagem Astral

Há muito estou perdido
Desde que toquei, inadvertido,
O céu da tua boca.

(O Poeta das Sombras)
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Desvario

Sem bússola,
perdi-me.
No céu da tua boca.

( Maria Izabel (bel)-)
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Céu de beijos

Quem quer céu
quando estrelam
beijos de tua boca?

(Odila)
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
No céu da tua boca
A língua é lua cheia
deixando a noite louca.

( Elane Tomich )
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Na tua boca II

Tua boca tem céu sem escuro.
Nela há um tapete vermelho
e dentes como muro.

( jjLeandro)
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Tua língua no meu céu

No céu da minha boca
não há estrelas. Mas tua língua
teima em querer vê-las.

(jjLeandro)
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Céu dos meus amores

O céu da minha boca
não tem anjos nem pecadores.
É privativo de meus amores.

( jjLeandro)
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Céu sem Beijos

em meu céu
estrelas não cintilam
faltam beijos em minha boca.

(Angela Nassin (lynn)-)
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
paraíso

no céu da tua boca
a lua de mel
e eu...

( líria porto )
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Boca

Nenhum céu em minha boca
se a tua não acendeu as estrelas
em minha língua.

( silvane saboia )

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Céu da boca

Um vôo diuturno
embalado por lábios alados
rota de duplas línguas.

(Gabriel Ribeiro)
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Erótico

Uma coisa louca:
Entre teus dedos
E o céu da tua boca.

(Guilherme Amorim)
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
A língua

torre de babel
tentando alcançar o céu:
da boca

( Jucineia )
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Ciúme

o dentista
é quem melhor conhece
o céu da tua boca

( Armando Leal )
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
No céu da boca

Gesto furtivo
num instante, sem demora.
doce sabor-amora.

(Jussara Midlej)
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
De repente

seu beijo
no céu de minha boca
adocica-me

( Jussara Midlej )
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Lual estrelado

estrelas brilharam pomposas
no céu da tua boca
durante o nosso lual.

(lucelena maia)
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Céu da boca

Conforme troveja
os ouvidos do céu da boca
cobrem-se com estrelas

(Elizabete Takahashi)
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Maldade

No céu de tua boca,
a minha língua lampeja,
insaciável e louca.

(Antonio Carlos Menezes)
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Boca de lua

No azul do céu
um sorriso de lua
cresce e aparece.

( claudia villela de andrade)
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Prazeres

minha língua, deitada na tua,
contempla o céu vermelho
da tua boca nua.

( Dreyf )
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Rendição

sem resistência
línguas não identificadas
invadem o céu da tua boca

( Dreyf )
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
PERDIÇÃO

linguas se percorrem
no céu de estrelas
e bocas cadentes

( MarceloMarinho )
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
PROFANA

tua boca é um inferno
e o diabo da língua
insiste no céu

( lílian maial )
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
tua filosófica língua

em dúvida,
busca respostas
do sétimo céu à boca do inferno...

( aila magalhães )
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
ERÓTICO LITERÁRIO

No céu da boca
dançam seminuas
vogais &consoantes

( Ricardo Mainieri )
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Tormenta de um adeus

No céu da boca, um travo.
Na garganta, um nó.
E nos lábios uma súplica.

( Francisco Bezerra (fran)-)
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
D'us x Céus

Céu me sugere D'us
Boca me sugere beijos
Quando te beijo, estou nos Céus!!!

( olgakapatti.k® )
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
"Céu da Boca"(I)

Lugar onde
chove
até à morte...

(clevane pessoa de araújo lopes)
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
"Céu da Boca"(II)

Cócegas
de língua:
prazer molhado...

( clevane pessoa de araújo lopes)
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Ladra erótica

Louca ateio fogo ,
roubo estrelas atéias
no ceu de tua boca!

(OlgaMatos ( prenda)-)
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
viagem

no céu
da tua boca
viagem tão louca

(Sérgio Luís da Silva Vargas)
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Sabor

No céu da minha boca
A tua língua buscava...
Sedenta... o meu sabor.

( Ydeo Oga )
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Beijo

Naquele beijo
Encontrei você
No meu céu.

( Ydeo Oga)
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Céu da minha boca

beija -me
e dança com tua lingua no
céu da minha boca

( Gilsa - (Isa)-)
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
NO GOZO REFLEXO

Língua feito leme
Treme quando chega ao céu...
Numa boca em mel.

( Oswaldo Martins
)
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
ABOCANHADO

Inferno de céu!
santificadas
línguas em fogo.

( Djalma Filho )
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
flerte

do céu de tua boca
piscam-me
estrelas marotas

( valéria tarelho )
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
atriz

enceno um beijo obsceno
no palco de tua boca
estrelas aplaudem pedem bis

(valéria tarelho)
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Viagem Espacial

Minha língua-nave
voa louca
no céu da tua boca.

(José Maria Almeida Marques)
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
PULSAÇÕES

no teu céu da boca, o desejo
na minha língua, a avidez:
encontro ardente

( Otávio Coral )
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
ATEMPORAL

sem tempo, no céu de tua boca,
minha língua passearia
umidamente plena

( Otávio Coral )
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Teu palato

Sublime céu de tua boca
Tapete vermelho estendido
A um universo de sensações

(Luzia Ramos (Luzes)-)
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
No céu da tua boca

Ela mora
...............
Umedece
..............
d
..........................
e
......................
s
..................
l
..............
i
.........
z
.....
a
.

(Luzia Ramos (Luzes)-)
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Beijo

No céu da sua boca
busco as estrelas
na ponta da língua.

(Hércio Afonso)®
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Beijo II

Naquele beijo
O céu desceu à terra
Minha língua virou estrela.

(Hércio Afonso)®
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Beijo III

No céu da sua boca
Fiz-me astronauta dia e noite
Não dormi de toca.

(Hércio Afonso)®
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Beijo

Lábios que se calam
Línguas que lambem o céu
Só de prazer.

(Hércio Afonso)®
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Ao céu, a boca.

Em segredo, ela se fecha
E toda molhada o aguarda,
Desferindo o golpe mortal de amor.

(Lorenzo Ferrari)
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Veja que céu

Veja que boca...
Seus lábios de mel,
escondem que é oca...

Luis (Blind Joker)
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Um céu alegre

Trinta e duas estrelinhas,
que brilham num sorriso,
de luzes assim... branquinhas!

Luis (Blind Joker)
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Boca falsa

Teu céu da boca, menina,
se me beijas como louca,
esqueço que é de resina!

(Blind Joker)
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
beijo ardente

cubro o céu da tua boca
com o doce mel
da minha língua...

liria porto
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
brincadeira

vou buscar o meu chiclete
o meu doce de coco
lá no céu da tua boca...

líria porto
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Preciso do seu mel

No céu da tua boca,
Provo do teu mel
e adoço meu viver.

(Luciane Makkário (Lu))
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Fonte de Inspiração

No céu da tua boca,
mergulho e procuro
minha fonte de inspiração.

( Elizabeth Misciasci {Beth} )
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Céu da boca

No céu da tua boca
encontra o paraíso
minha vontade louca

(José F Marques -(Zéferro))
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Céu da boca

Há um céu que desconheço
e nem sei se eu mereço
o céu da sua boca.

(Carlos Magno)
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Céu da Boca

Um céu azul desenho
imaginando o amor que vem
do céu da tua boca.

( Célia Lamounier )
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Céu da Boca

Nos teus lábios
afoguei
Os meus ressábios.

( Valdez )
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Beijo celestial

Vi estrelas de repente
no céu da boca
sabor diferente

( mariainêsimões )

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Céu da Boca

Anoiteci em tua boca
Contando estrelas
Numa febre louca

( Angélica Almstadter )
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

No céu da boca

no céu da boca
pequeno grão de areia
suspiro cósmico: em silêncio

( josé geraldo neres )

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

coordenação da ciranda: Angela Bretas

João Justiniano publica-me


Clevane Pessoa de Araújo Lopes
Poeta Honoris Causa, pelo Clube Brasileiro de Língua Portuguesa
Diretora Regional do Instituto de Culturas Americanas.
Embaixadora Universal da Paz.
Um soneto de João Justiniano e minha crônica domingueira
                                             
     Acordo, domingueira, lá fora a umidade da madrugada chuvosa.
     Cuido de mim, de tudo que é vivo aos meus cuidados: o cãozinho Lucky, as plantas, nos beirais, alimento para os pardais, as rolinhas.
     E, no meu "hospital de plantas" - uma bancada onde deixo vasos com verdinhas que precisam recuperar a cor, galhos a serem entalados entre paus de fósforos, de adubação, etc   -coloco um pedacinho de bolo. As formiguinhas em breve, descobrem os farelos ... Assisto aos preparativos: procissão ou combate? Desfile militar ou caminhada de pigmeus? O tatalar das asas de  um beija-flor faz-me erguer os olhos. Ele bebe néctar das corolas das flores rosa-pêssego dos dedinhos-de-diabo, muito crescidas, que catei nuns degraus, mirrados e sujos de poeira... Outro aparece e os escorraça. As lindas e pequenas aves são belicosas, defendem território.
     Corto um galhinho de hortelã. Velho cheiro conhecido... Encano um galho quebrado pelo gatinho noturno que não conheço: dois paus-de-fósforo, durex. O sol aparece tímido. Venho escrever...
     Abro o PC. Delasnieve Daspet, Embaixadora de Poetas Del Mundo, envia um soneto do João Justiniano. Aliás, eu só soube que era soneto, quando o colei aqui, pois no corpo do e-mail, desconfigurado, conforme muitas vezes ocorre, ele veio  longíneo, qual um adolescente quase palavra abaixo de palavra.
     Li e achei muito interessante. Claro, tudo que fala de asas (os leitores sabem que asas, água e lua são recorrentes em meus poemas - desde que eu era menina ) merece minha  atenção. Mas há algo mais: há tempos, por ser psicóloga e também intuir, quais todas as mulheres, as histórias que se somam e subtraem na Internet.
     Muitos amores e até paixões surgem. A amizade e a solidariedade florescem. Entre pessoas há  quem já jamais se viu, sentiu o cheiro, beijou a mão, a boca, ou segurou nos braços  o objeto de desejo. Muitos fazem amor apenas com a força cabalística da palavra. Com o imaginário alado e criativo. Muitos até se dizem Poetas, embora não o sejam, muitas vezes lançando borrifos sobre uma boa prosa, porque passam a escrever versos. Montadores de vocábulos, rimas, formas.De vez em quando, produzem algo de maior valia. E, no meio da cascata dos Poetas verdadeiros, quem não aprenderia? Mas por que querem falar em versos? Ora, porque a Poesia é a língua dos apaixonados, que sempre buscam inovar-se, recriar-se e recriar o outro. É a língua dos anjos. A dos espiritualistas, dos crentes,dos místicos, dos mágicos e das feiticeiras. O próprio conceito de Deus exige um esforço poético.
     E o interessante na Internet, é sua mágica, ou mesmo sua magia: quem explica de onde vem esse poder que se passa a ter? Idade torna-se  dado secundário, às vezes, até omitido. (O poeta João Justiniano, abaixo, quando fala de forma universal, generalizada e indireta sobre as relações do ser - dele próprio também - com o espaço de ser, escreve: "o tempo não me importa, nem a idade"). E esse é o grande atrativo do espaço cibernético. Nele, as pessoas são. Gênero, raça, idade, tornam-se fatores secundários num relacionamento.
     Profissionais estressados podem se dizer surfistas.Trilheiros podem se informar doutores. Talvez formados pela Vida - Universidade completa. Impotentes,deficientes  podem viver sua maior potência e eficiência, que é a mental , E fazer amor conforme fazem os que sabem.
     O imaginário é tão amplo, que é mesmo imensurável: sem limites, sem limitações.
     É evidente, se tantos precisam de máscaras e muitas personas, muitas vezes divididos porque desejam multiplicar-se, há os que são, embora impalpáveis no sentido físico, verdadeiros, eles mesmos: pessoas que, muitas vezes, experienciam, pela primeira vez, o direito de expressão. Donas de casa ousam. Velhos provedores de casamentos falidos abrem outras comportas e passam a suprir-se. E a suprir quem está do lado de lá. E a pessoa que excita, esquece que... O fruto da excitação será, provavelmente, usado para a pessoa que dorme ao lado de quem se excitou. Mas sonhar é preciso!
     Há uma onda de adultério não caracterizado legalmente, que pode beijar as areias de praias na amorosidade incondicional, mas também podem provocar Tsunamis - e trazê-las qual uma catástrofe. Uma paciente minha queixou-se: "Encontrei o fulano escrevendo um e-mail picante e com uma bruta ereção. Depois, decerto, ia se masturbar. E comigo, sua esposa, do lado". Chorava a ponto de sufocar-se.
     Pela telinha, há, na maioria das vezes, a certeza de que pecado não existe. E soltam asas. Alados, voam um até ao outro. E dentro desse enfoque de solidão, já há a traição internética: "Ela( ele?), se correspondia, usando o  mesmo nick (ou com nicks vários!), com muita gente e eu já estava apaixonado (a)". Parece gravíssimo, ao traído. Qual uma lésbica cuja companheira engravida de um homem, evidentemente  sente-se traída de forma especial. Ou seja, a lógica da filosofia de vida dos internautas, é: "lá fora, na vida real, somos assim e assado. Aqui, na virtual, somos um para o outro". Há os que se entregam, qual a uma profissão de fé.
     Todas as pessoas se sentem um pouco donas de seus companheiros. Donde a liberdade a dois é uma necessidade, mas quase um mito. Postergar-se ao outro o ser feliz.  Somente a pessoa a quem amo, pode conceder-me a felicidade, e isso, é um engano, um erro cultural antiqüíssimo, para quase todos os povos.
     Existe uma nova moral, inegável, após o advento da Internet. Se antes as fantasias eram extrapoladas ao travesseiro, no banheiro, inconfessáveis, agora, em frente à telinha, "tudo pode". A fantasia atingiu o terreno do possível.
     V E, notem bem,  não falo aqui de atos pornográficos, pedofilia, nada hediondo. Apenas de almas normais e sequiosas de atenção. Apenas o erotismo se desenroscando do ser, onde fora subjugado por convenções: a serpente Kundalini, dormitava na base da espinha e, em frente ao computador, desenrola-se, sobe pela coluna vertebral do Internauta e até dança ao som da amorosidade que cria músicas hipnóticas vivas e/ou próprias. Não a serpente bíblica, que induz ao pecado. Não há pecado abaixo do Equador? Não há pecados na Internet! Pelo menos, não oficialmente. Então, a maioria, transige. O que? Depende do que quer ou pensa ou faz. Ou escreve, claro.
     Uma de minhas pacientes me dizia que tomava banho, se vestia e penteava - quiçá, perfumava-se - para falar com o namorado. Pela Internet, entre bytes... O encontro marcado certo. E enquanto o marido bruto dormia. E isso, sem contar que, do outro lado, o "amante" - aquele que ama - talvez estivesse de cuecas, embriagado, ou precisando de banho. ..
     Muitas vezes, a energia flui de tal forma que muitos atravessam oceanos para conhecerem as musas inspiradoras, as mulheres românticas e sensuais com quem se correspondem. Os  homens viris e sedutores. Às vezes, há decepções. Uma de minhas alunas da Oficina de Contos, no CCSB (*), contava-me que um rapaz de família simples, recebeu da correspondente, as passagens, e atravessou o país para conhecê-la. Ela usara recursos de fotoshop e pareceu-lhe ao ver de perto a mulher,muito mais velha que ele. Se nos e-mails, MSN, ou antes, o ICQ, o rosto é um, ao vivo, poderá ser outro. Restou-lhe apenas a voz dela, a amargura de ter sido ludibriado, despistada com muitos passeios e carinhos. Voltou deprimido, amargurado.
     Mas há os que se apresentam quais realmente são. E se apaixonam, se entregam, se buscam. E se casam. Conheço pelo menos três casais muito bem casados, a partir da realidade que buscavam e encontraram. Fugir da monotonia. Não obedecer a regras. Libertar-se. Ser.
     Daqui a uns tempos, haverá Leis referentes a "trair sem sair de casa", "trair por e-mail", falsidade ideológica essencialmente virtual, etc. Pois assuntos de tais golpes dados em mulheres frágeis, já acontecem fora da telinha.
     A "dura Lex, sed Lex" (**), basear-se-á nas mesmas normas, mas com setas específicas para internautas. E  quando se tratar desse tipo de violência  contra a mulher, ela será específica: enganada virtualmente. Chantageada pelo internauta de nick tal... E por aí vai...
     Mas, depois desse parênteses, retorno ao soneto de João Justiniano,que trata da sensação de paz e liberdade que se experiêcia em frente ao computador. Da liberdade plena ("aqui, eu sonho e gozo", atesta-se o sonetista). De reviver os tempos da juventude ("o ardor da novidade', "em pleno reverdor").
     E nesse redescobrir-se, ele, que no primeiro verso do primeiro quarteto, afirma que o paraíso está dentro de sua própria casa, depois reconhece mais, esse poeta alado: "Sou eu o paraíso".
     Adorei, pois ritmo e precisão, João Justiniano nos mostra que a forma mais bela e simples de encontrar a felicidade, é encontrar-se. O paraíso existe e está dentro de nós mesmo!

><**><
Minha Alma, amante, amada...

Clevane Pessoa
    
     Minha alma, agitada calma,
     conformada e guerreira,
     ambivalente mas resiliente.
    
     Ave de asas largas,
     a deliciar-se nas alturas,
     buscar pousos insuspeitos,
     muito frágil na sua fortaleza,
     muito forte, em sua fragilidade.
    
     Minha alma  :orgulhosa, simples,
     diferente entre iguais,igual entre os diferentes
     faz-me sofrer - mas ela própria, cura-me!
    
     Poema da Amizade
    
     A amizade tem sutilezas de vitral:
     técnicas e arte,unidas à luminosidade do sol,
     filtrada em harmonia,perfeita integração.
    
     A amizade tem sutilezas de  cristal:
     sete cores decompostas de um branco primário.
    
     Faz-se das artimanhas do coração
     explica-se sem nenhuma explicação
     e deve durar sempiternamente,
     porque quando se acaba...amizade não é, não!
    
-----------------------------------------------------------------
haikais de gatinhos desiguais
Haruko(*)
    
     Formas animadas
     lutam boxe de carinhos:
     pequenos gatinhos...
    
     Bichano pequeno
     um móbile de lã-pluma
     com garras afiadas ...
    
     Pêlos arrepiados
     nos arreganha sua boca:
     caverna rosada...
    
     Gato aquece sonhos
     perto do fogão de lenha
     -um verão no inverno...
    
     Gato preto em neve
     faz-me salivar lembranças:
     ameixa em manjar...

(*)Haruko:primavera em japonês,
meu pseudônimo para haikais.
http://www.joaojustiniano.net/amigos.html

Qual no tango, os casais -Clevane Pessoa


Qual no Tango, os casais...
Clevane Pessoa de Araújo Lopes
Patroness da AVSPE


Um casal ideal, deve ser sincronizado
andar de um para outro lado, unido, abraçado,
a sustentar movimentos e pensar em consonância.
Mas respeita os vôos do desejo, a visão pessoal de cada um
a liberdade pessoal, a individualidade e seus ideais:
num dado momento, cada qual
-embora pelo outro amparado, corações em uníssono,
olha para o outro lado...

Assim , a liberdade do ser de cada SER, não se torna
um pássaro aprisionado...


terça-feira, 21 de dezembro de 2010

As Mãos São o Mundo-Rafael Jesús González-tradução livre:Clevane Pessoa

Rafael Jesús González :As Mãos são o Mundo



05/08/2007 18h00

Ouçamos o poeta Rafael Jesús González :As Mãos são o Mundo


O poeta Rafael Jesús González nos envia uma de suas poesias, bem a seu estilo.No côncavo do mero, o de profundis...
Busque mais nos endereços que ele envia.Traduzi, abaixo, para o Português (Clevane Pessoa).





"To share with you Arabesques Review; Cultures & Dialogue, a journal of international writing & arts, Vol. 3 no. 3 on Globalization in which some of my work appears: http://www.arabesquespress.org/journal/rafael_jesus_gonzalez/index.h tml


R.J.G.





Para compartir con ustedes Arabesque Review; Culturas y diálogo, una revista de escritura y arte internacional, vol. 3 no. 3 sobre la globalización en la cual aparecen algunos de mis trabajos:



http://www.arabesquespress.org/journal/rafael_jesus_gonzalez/index.html"


R.J.G.








" The Hands are a World






We do not hold the world in our hands

but our hands are the world


they impose upon the Earth -


be it with a caress

or with a blow.



Let us hold hands

& make the world whole."








© Rafael Jesús González 2007"

















"Las manos mundo son





No tenemos el mundo en las manos

mas son las manos el mundo

que le imponen a la Tierra -

ya sea con una caricia

o con un golpe.


Tomémonos de la mano


y hagamos un mundo entero."


© Rafael Jesús González 2007



Em Português:



As mãos são o Mundo

Rafael Jesús Gonzalez.



Não temos o Mundo nas mãos,

mas são as mãos, o Mundo

que o impõem à Terra,

seja com uma carícia

ou com um golpe.



De mãos dadas,

façamos um Mundo inteiro...



Tradução livre:Clevane Pessoa de Araújo Lopes



Esses versos de Rafael Jesús González, vão dar nas vertentes de um poemeto-oração de Michel Quoist , que eu declamava, mocinha, nos Anos 60:



"Senhor,

na minha vida

há uma porção de buracos.

Há buraços também , na vida de meus vizinhos.

Mas se nos dermos as m ãos,

faremos um belo rolo de tela

para consertar o paraíso."



N:Eu sempre fazia uma versão onde substituía a palavra "paraíso"(não o Éden, mas a própria Terra, um "paraíso perdido", ou quase , para os homens).

O Poeta , hoje, tem a sagrada obrigação de lutar pela Paz Universal, para que a roda do mundo gire no sentido esperado, em harmonia , pela União dos povos a conviver em Paz.E pobres de nós , humanos,se perdermos a esperança de que um dia , a verdadeira PAZ,possa acontecer de verdade...



Clevane Pessoa

Poeta Honoris Causa, pelo Clube de Língua Portuguesa, para 8 países Lusófonos.



Belio Horizonte, Minas Gerais, Brasil


clevaneplopes@gmail.com

http://www.clevanepessoa.net/blog.php

No côncavo do mero,
o de profundis(...)
(versos de meu poema Natus Sunt-Clevane Pessoa_

sábado, 18 de dezembro de 2010

Poema para Mario Vargas Llosa-Clevane Pessoa


A notícia de que Mario Vargas Llosa levou o prêmio saiu na manhã desta quinta-feira (7/10/2010)
Foto: AP

Poema Para Llosa

Clevane Pessoa -Brasil

Llosa que sabe o segredo da rosa
da semente até ao desabrochar
sabe da fenecitude, o desfolhar.

latinoamericano, sonha-a-dor, sonhador,
sonha o prazer,
conhece as diretrizes das raízes inquietas.
corajosas o suficiente
para buscar e transportar a seiva.
seiva de letras, leite da terra, avatar.

Punhos me doem de segurar os pesados tijolos
de sua construção literária .
Mas dor e prazer se confundem e busco o gozo
do enredo oblongo, na tessitura e na tecitura do verbo.
Adormeço para amanhã continuar
e seguir a trilha .
Ressonho com Mário Vargas Llosa
e ele brilha
a carregar seu novo troféu
literária /mente.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Antologia de Ouro Museu Nacional da Poesia

A foto lá embaixo foi  de Regina Mello :fografou-me  (Clevane Pessoa) na entrada da Galeria da Árvore, do MUNAP*(durante a intalação d minha mostra de desenhos e poemas-GRAAL FEMININO PLURAL).
[marca.JPG]
No Guia Entrada França, o texto do Poeta Antonio Dayrell, que faz parte da Antologia de Ouro, .

A Diretora do Museu Nacional da Poesia-MUNAP  é artista plástica e poetisa  Regina Mello.
BELO HORIZONTE
Agenda Dezembro
Antologia de Ouro Museu Nacional da Poesia


Regina Mello Acontece no próximo dia 19 de dezembro, a partir das 10 horas, no Parque Municipal Américo Rennê Giannetti – Praça dos Fundadores, entrada pela Al Ezequiel Dias (em frente ao nº 365), o lançamento da Antologia de Ouro do Museu Nacional da Poesia – MUNAP, editora Anome Livros.

O livro reúne 60 poetas de destaque da literatura nacional e do estrangeiro, incluindo seis portugueses, um angolano e norte-americano que reside no Brasil. Estes aceitaram o convite da artista visual, e curadora do MUNAP, Regina Mello para fazer uma obra que marcasse de forma grandiosa e permanente os cinco anos de atividades do museu.

O MUNAP realiza exposições, palestras, cursos, recitais, seminários e intercâmbios, em parcerias com instituições públicas ou privadas, sempre com o objetivo de promover, divulgar, preservar e estimular todas as performances poéticas do ser.

Regina Mello que também é poeta nasceu em Itaúna/MG. Já trabalhou na Alemanha e em Curitiva/PR, antes de morar na Capital Mineira e fundar em fevereiro de 2006 o MUNAP.


O lançamento da antologia acontece onde tradicionalmente, todo terceiro domingo do mês, ocorre o “Sementes de Poesia”, um projeto do MUNAP sob a supervisão de Regina Mello em parceria com a Anome Livros e a Fundação de Parques Municipais de Belo Horizonte, um sarau aberto e gratuito ao público interessado. A Antologia de Ouro depois de estrear em Belo Horizonte, o próximo compromisso será Portugal, em meados de 2011.


Por: Antônio Dayrell

http://museunacionaldapoesia.blogspot.com/:

No blog do MUNAP (acima) encontro o rol de poetas participantes, inclusive eu, convidada desde o início do projeto do MUNAP como pesquisadora e divulgadora, participei de muitos "Sementes de Poesia", da Galeria da Árvore (segmentos e espaços do MUNAP), lancei três livros ali, na Praça dos Fundadores, de várias ações  semanas de Museus , inclusive no Sindicato dos Artistas e em  Inhotim, e de vídeo conferêcia (com museus e seus diretores/integrantes) com a Diretora Regina Mello, a seu convite.Ela participou , como nossa convidada, do PAZ E POESIA (2008/2009), na feira de Artesanato e na Associação Mineira de Imprensa, da qual sou Consultura de Cultura , do projeto POIETISA (Rede Catitu/Clevane Pessoa), sendo entrevistada no Centro Cultural Terra Verde, onde teve início a Galeria da Árvore ,etc.
Também participamos do projeto ORIGINAL, LIVRO DE ARTISTAS, com 25 desenhos a bico de pena.
A Diretora do MUNAP esteve em nossa posse na ALB/Mariana  e na AFEMIL.Eu a representei, com Brenda Mars, no Sarau da Lagoa do Nado,quando apresentamos suas "Sementes de Poesia" e a exposição A Poesia das Sombras.


Clevane Pessoa
Diretora Regional do inBrasci em Belo Horizonte.
Adriano Bitarães, Alícia Maria, Andersen Viana, Ângela Togeiro, Antônio Dayrell,  Belkiss Diniz, 
Brisa Marques, Carmem Vieira, Cássia Veloso, Claret Soares, Clevane Pessoa, Consuelo Mourão, 
Cristiane Grando, Cristina Carone, Domingos Mazzilli, Eduardo Domingues, Eduardo Rennó
Esthergilda Menicucci, Fernando Aguiar, Fernando Carvalho, Fernando Righi, Flávia Craveiro,
, Gilda Barata, Ina Melo, Isidro Sanene, Jefferson Silveira, Jô Rodrigues, José Ribeiro, 
José Moreira, José Marto, Josiane Felix, Jussara Santos, Lilás,
 Lu Peçanha, Lucas Lopes,
Lucrécia Rocha, Luiz Edmundo, Marcos Fabrício, Marcus David, Maria Gaiofatto, mario chagas,
Mario Rufino, Olga Valeska, Patrícia Alvim, Paulo Valoto, Pedro Peres, Regina Mello, Rita Moncorvo, 
Rodolfo Magalhães, Ronaldo Wernek, Rosângela Álvares, Tatiana Moreira, Tatiane Motta, 
Thelma Quevedo, Todd Marshall, Vilmar Oliveira, Wesley Oliveira, Wilmar Silva e Zelia Fonseca.

><**><
 "Um Pássaro de Ouro nas Mãos!, no dizer de Dayrell. 

Nós e Outros Poemas de Rodrigo Starling-Projeto Livro Sustentável



"Prezados amigos e literatos, conto com a presença e divulgação de vocês!
Grato,
Starling"

Amigos:saibam mais sobre o projeto livro Sustentável.O primeiro livro publicado , de Rodrigo Starling, certamente repetirá o estilo próprio e singular desse grande poeta.

 
LIVRO SUSTENTÁVEL: COMPRE ESSA IDEIA!
Autor mineiro inaugura projeto com o lançamento do livro “Nós e outros poemas”
Com o lançamento de seu livro “Nós e outros poemas” (2010), o autor Rodrigo Starling inaugura o Projeto Livro Sustentável. Trata-se uma ideia inovadora que visa alinhar o conceito de sustentabilidade, pauta nas agendas nacionais e internacionais, como proposta para o rebranding - “esverdeamento” - do mercado editorial. O projeto apresenta os seguintes objetivos estratégicos: baixo custo na publicação e distribuição das obras (eixo econômico); doação de percentual das vendas para uma organização sem fins lucrativos (eixo social); utilização de fontes mistas ou recicláveis (eixo ambiental).
Em sua primeira edição, a entidade contemplada será a Oficina de Produção Artística – OPA! em que Rodrigo é o idealizador e atual presidente. Fundada em 2004, a OPA! é uma entidade civil sem fins lucrativos que tem por princípio e finalidade estimular o ensino, aprendizagem, pesquisa e promoção de atividades na área de cultura e educação, aliando ações de responsabilidade social e voluntariado a programas para a geração de renda. A organização, que também está alinhada aos conceitos de sustentabilidade, tem contribuído para a formação de um novo profissional no mercado: o Artista Empreendedor.
Starling, que é natural de Belo Horizonte (1981), é filósofo e poeta. Publicou quatro opúsculos: Paz: o começo (2002), Alea Jacta Est (2003), Breviários do Cárcere (2004) e Confessório Ardente (2006). Figura nas coletâneas Terças Poéticas (2006) e Poesia na Praça Sete (2006-2009).
Co-fundador da banda de Rock Progressivo Nebula Dux, teve o poema Prelúdio musicado em single homônimo de 2004 .
Em 2008, recebeu Menção no Prêmio NOSSIDE, maior concurso de poesias inéditas do mundo, promovido pelo Centro Studi Bosio, Itália.  O Prêmio faz parte da UNESCO World Poetry Directory e da Alianza Global para la Diversidad Cultural. Em sua 24ª edição, contou com participantes de todos os Continentes, provenientes de 40 países em 29 línguas.
Rodrigo é voluntário em entidades nacionais e internacionais, tais como o VIDES (Voluntariado Internacional de Desenvolvimento e Educação Social do Brasil) e o COEP (Comitê de Entidades no Combate a Fome e Pela Vida), tendo atuado, respectivamente, como Presidente (2009-2010) e Secretário Executivo Adjunto (2008-2010). Em 2009, integrou a Coordenadoria de Iniciativas para a Sustentabilidade da AIESEC BH, entidade com status consultivo junto à ONU.
Ainda em 2008, foi agraciado com a “Medalha do Mérito Resgate da Cidadania”, em cerimônia realizada na Câmara Municipal de Belo Horizonte. É pós-graduado em Gestão de Políticas Sociais (PUC Minas) e mestrando em Ciências Políticas pela ULHT, Portugal.
Atualmente é coordenador de projetos sociais do Instituto de Gestão Organizacional e Tecnologia Aplicada – IGETEC.

SERVIÇO:

Evento: Lançamento do Projeto Livro Sustentável “Nós e outros poemas” de Rodrigo Starling

Data: 20 de dezembro de 2010

Horário: 19h

Local: Status Livraria – Rua Pernambuco, 1150, Savassi, Bhte.



Rodrigo Starling, Poeta, Filósofo, Coordenador de Projetos Sociais do IGETEC.

Outorga da medalha Tiradentes-FALASP-JUiz de Fora-MG-Brasil

No Bacco, do Victory Hotel, antes da cerimônia de entrega da medalha Tiradentes , pela representação da FALASP, em 23 de novembro.
O Acadêmico Ricardo Cavalcanti organizou uma bela solenidade , com jantar, entrega das medalhas e posse dos acadêmicos correspondentes da Academia de Letras da Mantiqueira.
Crpedito da foto:Lu Peçanha.

Manuelzinho e Clevane Pessoa

Clevane Pessoa, perto da concepção artística do "Manuelzinho"-personagem de Guimarães Rosa, inspirada no personagem real que lhe deu nome.
Exposição na Câmara Municipal de Belo Horizonte, sala Guimarães Rosa.

Destaque Brasil 2010

Baronesa Giselda entrega-me o certificado de Destaque Brasil-2010-Taubaté/SP em 26 de novembro de 2010-Evento organizado pela Coluna Destaque, de Raimundo Nonato pereira da Silcva, que há mais de vinte anos realiza eventos de homenagem e congraçamneto.
Locaç:Mansão Falbelle, Taubaté/SP

Mulheres

Esperando a pizza:Clevane Pessoa, Eda(em pé), Neuza Ladeira e Marina, após o sarau "Os Comedores de Sonhos", de neuza ladeira, na Lagoa do nado-centro Cultural-Saraus de Poesia organizados por Ricardo Evangelista.

IGETEC premia dissertações sobre voluntariado.

Tânia Diniz, Rodrigo Staling  (Coordenador de Projetos Sociais), aluno premiado, Clevane Pessoa , aluno premiado, aluna premiada e Claudio.Nas mãos, exemplares do Mural Mulheres Emergentes, da editora Tânia Diniz,mqyue com Clevane Pessoa e saulo laranjeira, foram jurados no concurso.

O IGETEC, com as parcerias do BDMG, CEF e outros, promoveu o concurso de dissertações com tema "Voluntariado"(Como o voluntariado pode modificar o meu mundo) .Cada um dos alunos selecionados recebeu  um notebook de presente.
Local:Auditório do BDMG-Rua da Bahia.